Never Asked Questions: perguntas que os jornalistas NUNCA fazem aos professores que são contrários ao Programa Escola sem Partido.

O Programa Escola sem Partido prevê a afixação, em todas as salas de aula do ensino fundamental e médio, de um cartaz com o seguinte conteúdo:

  1. O professor não se aproveitará da audiência cativa dos alunos, para promover os seus próprios interesses, opiniões, concepções ou preferências ideológicas, religiosas, morais, políticas e partidárias.

  2. O professor não favorecerá, não prejudicará e não constrangerá os alunos em razão de suas convicções políticas, ideológicas, morais ou religiosas, ou da falta delas.
  3. O professor não fará propaganda político-partidária em sala de aula nem incitará seus alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas.
  4. Ao tratar de questões políticas, sócio-culturais e econômicas, o professor apresentará aos alunos, de forma justa – isto é, com a mesma profundidade e seriedade –, as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito da matéria.
  5. O professor respeitará o direito dos pais dos alunos a que seus filhos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com suas próprias convicções.
  6. O professor não permitirá que os direitos assegurados nos itens anteriores sejam violados pela ação de estudantes e terceiros dentro da sala de aula.
  • O Sr. contesta a existência de algum dESSES deveres? Qual?

  • Se esses deveres existem, o Sr. não acha que os alunos têm o direito de saber?

  • SE O SR. NÃO NEGA A EXISTÊNCIA DOS DEVERES NEM O DIREITO DOS ALUNOS DE SABER QUE ELES EXISTEM, POR QUE É CONTRA O PROJETO?

  • Como professor, O SR. TEM MEDO DE QUE A SUA PRÁTICA DOCENTE SEJA AVALIADA POR SEUS ALUNOS À LUZ DOS DEVERES PREVISTOS NO CARTAZ? POR QUÊ?

  • O SR. NÃO ACHA QUE OS PROFESSORES DEVEM AGIR COM PRUDÊNCIA EM SALA DE AULA PARA NÃO ACABAR EXERCENDO UMA INFLUÊNCIA INDEVIDA SOBRE OS ALUNOS?